Uma proposta para estudo da história social da língua como objeto transistêmico

Hélcius Batista PEREIRA, Marilza de OLIVEIRA, Priscilla Barbosa RIBEIRO

Resumo


O presente trabalho pretende contribuir para o estudo na área de História Social da Língua. Partindo da sociolinguística paramétrica (TARALLO; KATO, 2007) conciliada à teoria sociológica de Pierre Bourdieu (1994, 2003), propomos uma abordagem transistêmica da língua. Nessa perspectiva, concebemos que esta é gerada em dois níveis complementares: no nível biológico e inato, a faculdade da linguagem, após amadurecimento, dota o indivíduo de competência linguística (CHOMSKY, 1986); no nível de natureza social, o habitus, depois de internalizado, concede-lhe um certo capital linguístico. A partir desse percurso teórico, apresentamos alguns resultados encontrados recentemente a partir dessa abordagem: a reconstrução da realização do sujeito pela elite paulistana do início do século XX; a interpretação das diferenças dos usos linguísticos de Pereira Barreto e Eduardo Prado, dois intelectuais paulistas do período republicano, com especial foco para a função do sujeito e, finalmente, da interpretação sociohistórica da ordem dos constituintes nos documentos produzidos no âmbito da Escola Normal da Capital ao final do século XIX.


Palavras-chave


Chomsky. Bourdieu. Labov. Competência Linguística. Habitus Linguístico.

Texto completo:

PDF

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.