EDUARDO WHITE - O ÉPICO EM TRANSE ERÓTICO OU O SENTIMENTO DUM ORIENTAL

Camila de Toledo Piza Costa Machado

Resumo


Uma das principais questões que pairam hoje no universo da literatura portuguesa foi apresentado por Silveira (2003, p. 43): "a Literatura Portuguesa é o modo inteligente como alguns autores souberam contornar a impossibilidade de se fazer uma literatura normal depois do aparecimento d' Os Lusíadas." Essa assertiva pode ser transposta também a todos os países herdeiros da língua portuguesa que são devedores dessa épica camoniana. A partir, por isso, da proposta do professor (cf. Silveira, 2003, 2008, 2010) de que o jogo textual que diversos poetas posteriores a Camões realizam em suas obras literárias, o presente estudo pretende apresentar a proposta de que essa condição não se restringiu apenas a Portugal. Dessa maneira, o livro Amar sobre o Índico (1984), do poea moçambicano Eduardo White, será analisado à luz dessas questões que permeiam o imaginário dos povos que, de alguma maneira, possuem a língua portuguesa presente no cotidiano.

Palavras-chave


Épica; Os Lusíadas; Eduardo White; Oriente

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21165/gel.v13i3.1443

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Licença Creative Commons

Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.