Estudo da tradução de cartas patrimoniais com base em um corpus paralelo bilíngue (inglês-português)

Ivanir Azevedo Delvizio

Resumo


Cartas patrimoniais são documentos que definem os conceitos e estabelecem as diretrizes gerais para a conservação, preservação e restauração do patrimônio cultural. Há um fluxo constante de publicação de novas cartas e, portanto, há a demanda pela tradução desses textos especializados. Este artigo apresenta um estudo sobre a tradução de cartas patrimoniais baseado em um corpus paralelo composto por 32 cartas em inglês e suas respectivas traduções em português, também utilizado em estudo anterior para a elaboração de um glossário de termos usados em cartas patrimoniais. Por meio da análise do corpus, foi possível descrever a estrutura das cartas patrimoniais, compreender algumas condições e características das cartas traduzidas e analisar questões relativas à tradução de sua terminologia. Para tanto, foi usado o programa WordSmith Tools 6.0, seguindo os fundamentos teóricos e metodológicos da Terminologia (CABRÉ, 1993; 1999; BARROS, 2004) e da Linguística de Corpus (BERBER SARDINHA, 2000; 2004).

Palavras-chave


corpus paralelo; cartas patrimoniais; tradução; terminologia.

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, L. A. Curso básico de terminologia. São Paulo: Edusp, 2004.

BAKER, M. Corpus-based translation studies: the challenges that lie ahead. In: SOMERS, H. (ed.). Terminology, LSP and translation studies in language engineering: in honour of Juan C. Sager. Amsterdam: John Benjamins, 1996. p. 177-186.

BAKER, M. Corpora in translation studies: an overview and some suggestions for future research. Target, Amsterdam, v. 7, n. 2, p. 223-243, 1995.

BAKER, M. Corpus Linguistics and translation studies: implications and applications. In: BAKER, M.; FRANCIS, G.; TOGNINI-BONELLI, E. (org.). Text and technology: in honour of John Sinclair. Amsterdam: John Benjamins, 1993.

BERBER SARDINHA, A. P. Linguística de corpus: histórico e problemática. Delta: documentação de estudos em linguística teórica e aplicada, São Paulo, v. 16, n. 2, p. 323-367, 2000.

CAMARGO, D. C. Metodologia de pesquisa em tradução e linguística de corpus. São Paulo: Cultura Acadêmica; São José do Rio Preto: Laboratório Editorial do IBILCE/UNESP, 2007.

CAMARGO, D. C. As bases teóricas do projeto PETra: padrões de estilo do tradutor literário, especializado e juramentado. In: CAMARGO, D. C.; ROCHA, C. F.; PAIVA; P. T. V. (org.). Pesquisas em estudos da tradução e corpora no Brasil. São Paulo: UNESP, 2012. p. 12-34.

CONSELHO DA EUROPA. Convenção para a Salvaguarda do Património Arquitectónico da Europa. Granada, 1985.

COMITÊ CIENTÍFICO INTERNACIONAL DOS ITINERÁRIOS CULTURAIS. Carta dos Itinerários Culturais. Tradução Ana Paula Amendoeira. Québec: Icomos-CIIC, 2008.

KRIEGER, M. da G.; FINATTO, M. J. B. Introdução à Terminologia: teoria e prática. São Paulo: Contexto, 2004.

KÜHL, B. M. Notas sobre a Carta de Veneza. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, v. 18, n. 2, p. 287-320, jul./dez. 2010. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/5539/7069. Acesso em: 19 abr. 2018.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros Textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, A. P.; MACHADO, A. R.; BEZERRA, M. A. (org.). Gêneros Textuais e Ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2002.

OLIVEIRA, E. R. de; DELVIZIO, I. A.; LATTANZI, J. S. C. Levantamento da terminologia de cartas patrimoniais. In: OLIVEIRA, E. R. de. Memória ferroviária e cultura do trabalho: balanços teóricos e metodologias de registro de bens ferroviários numa perspectiva multidisciplinar. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2019. p. 149-210.

OLIVEIRA, E. R. de; DELVIZIO, I. A.; LATTANZI, J. S. Elaboração de um glossário trilíngue (Inglês-Português-Espanhol) para tradução de cartas patrimoniais. In: OLIVEIRA, E. R. de. (org.). Memória ferroviária e Cultura do Trabalho: Balanços teóricos e metodológicos de registro de bens ferroviários numa perspectiva multidisciplinar – v. II. São Paulo: Selo Cultura Acadêmica/UNESP, 2020 (no prelo).

PAIVA, P. T. P. Estudo de traços de simplificação e explicitação em artigos científicos de anestesiologia. Cadernos de tradução, v. 2, n. 20, p. 181-199, 2007.

SILVA, J. M. V. da; HARDEN, A. R. de O.; BARCELLOS, C. P. Explicitação, normalização e simplificação: estudo de caso no corpus paralelo a good man is hard to find e duas traduções. Revista de Letras, v. 1, n. 37, p. 163-176, jan./jun. 2018.

TAGNIN, S. E. O. Glossário de Linguística de Corpus. In: VIANA, V.; TAGNIN, S. E. O. (org.). Corpora no ensino de línguas estrangeiras. São Paulo: HUB Editorial, 2010. p. 357-361.

TAGNIN, S. E. O. O jeito que a gente diz: combinações consagradas em inglês e português. Barueri: Disal, 2013.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i2.2639

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)