Rede de herança para construções complexas subjetivas

Sebastião Carlos Leite Gonçalves

Resumo


Este artigo trata de construções complexas, sob a perspectiva dos Modelos Baseados no Uso (BARLOW; KEMMER, 2000), que assumem a construção como unidade de análise, um pareamento simbólico de forma e sentido. Recorrendo-se a dados de fala do português brasileiro e, a partir do esquema genérico [[Argumento][Predicado]], organiza-se uma rede de herança para construções complexas subjetivas, considerando-se se ocorre ou não topicalização de Sujeito ou Objeto encaixado para o domínio de sua matriz. Assentada em princípios cognitivos relevantes (GOLDBERG, 1995), a rede de herança comprova a adequação da abordagem construcional para o tratamento também de construções complexas. 


Palavras-chave


Modelos Baseados no Uso; rede de herança; construções subjetivas; topicalização.

Texto completo:

PDF

Referências


BARLOW, M.; KEMMER, S. Introduction: a usage-based conception of language. In: BARLOW, M.; KEMMER, S. (ed.). Usage based models of language. Stanford: CSLI Publications, 2000. p. 7-25.

BARÐDAL, J.; GILDEA, S. Diachronic construction grammar: epistemological context, basic assumptions and historical implications. In: BARÐDAL, J. et al. (ed.). Diachronic construction grammar. Philadelphia: John Benjamins, 2015. p. 1-50.

BYBEE, J. Língua, uso e cognição. Tradução Maria Angélica Furtado da Cunha e Sebastião Carlos Leite Gonçalves. São Paulo: Cortez, 2016.

CROFT, W. Radical Construction grammar: syntactic theory in typological perspective. Oxford: Oxford University Press, 2001.

DIK, S. C. The Theory of Functional Grammar. Part 2. Complex and derived constructions. [Kees Hengeveld (ed.)]. Berlin: Mouton de Gruyter, 1997.

GIVÓN, T. Syntax: an introduction. v. 1 e 2. Philadelphia: John Benjamins, 2001.

GIVÓN, T. A compreensão da gramática. Tradução Maria Angélica Furtado da Cunha, Mário Eduardo Martelotta e Felipe Albani. São Paulo: Cortez/Natal: EDUFRN, 2012.

GIVÓN, T. Topic, pronoun and grammatical agreement. In: LI, C. (ed.). Subject and topic. New York: Academic Press, 1976. p. 149-188.

GOLDBERG, A. Constructions: a new theoretical approach to language. Trends in Cognitive Sciences, v. 7, n. 5, p. 219-224, 2003.

GOLDBERG, A. Constructions: a construction grammar approach to argument structure. Chicago: Chicago of University Press, 1995.

GONÇALVES, S. C. L. O estatuto variável de construções com e sem alçamento: uma abordagem sociofuncionalista. D.E.L.T.A., São Paulo, v. 33, n. 3, p. 1291-1321, 2017.

GONÇALVES, S. C. L. Posição de sujeito e objeto em construções complexas subjetivas. Revista Linguística, Rio de Janeiro, v. esp., p. 192-215, 2016.

GONÇALVES, S. C. L. Orações completivas em posição argumental de sujeito e o alçamento a sujeito sob perspectiva funcional. In: HORA, D.; PEDROSA, J.; LUCENA, R. (org.). ALFAL 50 anos: contribuições para os estudos linguísticos e filológicos. João Pessoa: Ideia, 2015. p. 367-417.

GONÇALVES, S. C. L. Orações subjetivas e mudança de padrões na história do português. In: SOUZA, E. R. (org.). Funcionalismo linguístico: análise e descrição. São Paulo: Contexto, 2012. p. 93-118.

GONÇALVES, S. C. L. Orações subjetivas: variância e invariância de padrões na fala e na escrita. Revista da Abralin, Campinas, v. 10, n. 1, p. 87-11, 2011.

GONÇALVES, S. C. L. Aspectos da subordinação sentencial sob uma perspectiva diacrônica: o caso das orações em posição argumental de sujeito. In: CASTILHO, A. T. (org.) História do português paulista. Campinas: Editora da Unicamp, 2009. p. 585-594.

GONÇALVES, S. C. L. Banco de dados Iboruna: amostras eletrônicas do português falado no interior paulista. 2007. Disponível em: http:://www.iboruna.ibilce.unesp.br. Acesso em: 20 jan. 2020.

GONÇALVES, S. C. L. Orações subjetivas e teoria dos protótipos. Scripta, Belo Horizonte, v. 9, n. 1, p. 183-196, 2001.

GONÇALVES, S. C. L.; OLIVEIRA, T. P. Por uma abordagem de construções complexas em perspectiva construcional. Working papers em linguística, Florianópolis, v. 21, n. 1, 2020 [no prelo].

GONÇALVES, S. C. L.; SOUSA, G. C.; GALVÃO, V. C. C. As construções subordinadas substantivas. In: NEVES, M. H. (org.). A construção das orações complexas. São Paulo: Contexto, 2016. p. 69-121.

KATO, M. A.; MIOTO, C. A inexistência de sujeitos oracionais. Laços, Rio de Janeiro, p. 61-90, 2000.

LANGACKER, R. Foundations of cognitive grammar: theoretical prerequisites. v. 1. Stanford: Stanford University Press, 1987.

LANGACKER, R. Raising and transparency. Language, v. 71, n. 1, p. 1-62, 1995.

LYONS, J. Semantics. Cambridge: Cambridge University Press, 1977.

TRAUGOTT, E. C. Grammaticalization, constructions and the incremental development of language: suggestions from the development of degree modifiers in English. In: ECKARDT, R.; JäGER G.; VEENSTRA, T. (ed.). Variation, Selection, Development – Probing the Evolutionary Model of Language Change. Berlin/New York: Mouton de Gruyter, 2008. p. 219-250.

TRAUGOTT, E. C.; TROUSDALE, G. Constructionalization and constructional changes. Oxford: Oxford University Press, 2013.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i2.2621

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)