O corpo feminino em discurso: memória e (r)existência

Marco Antonio Almeida Ruiz

Resumo


O corpo feminino traz certas memórias de violência no interior da história construídas e reverberadas pelas práticas sociais que se materializa(ra)m nos e pelos discursos. Tal condição possibilitou um certo idealismo do seu corpo, visto como objeto sexual, além de colocá-lo num espaço discursivo de luta, sempre desigual. A partir de certos movimentos sociais em prol das mulheres, podemos dizer que há a instauração de uma nova memória ressignificada pelo corpo que resiste, que produz dizeres e que movem as mulheres na luta contra certos imaginários socialmente estigmatizados. Vemos, a partir dessas novas condições de produção a passagem do corpo terno e delicado de antigamente ao corpo profano, dono de si, militante. Embasados teórico-metodologicamente na análise do discurso francesa, nosso objetivo, com este artigo, é analisar essa nova memória que emerge a partir do surgimento de movimentos sociais feministas, tais como, a Marcha das Vadias e a Marcha das Margaridas. Nosso material é composto por alguns recortes de páginas feministas do Facebook e da mídia.


Palavras-chave


corpo feminino; discurso; memória; resistência.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. A. Memórias de um sargento de milícias. São Paulo: Ática, 1991.

AMADO, J. Tieta do Agreste. São Paulo: Companhia das Letras, 1977.

AZEVEDO, A. F. Sentidos do corpo: metáfora e interdiscurso. Linguagem em (Dis)curso, Tubarão, v. 14, n. 2, p. 321-335, maio/ago. 2014.

G1 DF. Trabalhadoras rurais fecham Eixo Monumental durante Marcha das Margaridas. 14 ago. 2019. Disponível em: https://glo.bo/2X46anE. Acesso em: 20 ago. 2019.

GARCIA, D. A. Efeitos de feminismo e mulher na marcha das vadias: a escrita do corpo. In: SCHERER, A.; SOUSA, L.; MEDEIROS, V.; PETRI, V. (org.). Efeitos da língua em discurso. São Carlos: Pedro & João Editores, 2019.

IG São Paulo. Mulheres pintam os corpos e protestam no Rio. Grupos se concentram à tarde e à noite em Copacabana. 27 jul. 2013. Disponível em: https://bit.ly/3d2Hlhk. Acesso em: 20 ago. 2019.

LINHARES, J. Marcela Temer: bela, recatada, “do lar”. Revista Veja, 18 abr. 2016. Disponível em: https://bit.ly/3gswnUx. Acesso em: 6 maio 2020.

MALDIDIER, D. Michel Pêcheux: une tension passionnée entre la langue et l’histoire. In: MALDIDIER, D. Histoire et linguistique. Paris: Éditions de la Maison des Sciences de l’Homme, 1984.

MARCHA DAS MARGARIDAS. Marcha das Margaridas. Facebook, 2019. Disponível em: https://bit.ly/36xWcxK. Acesso em: 20 ago. 2019.

ORLANDI, E. P. Análise de Discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes, 2002.

OTTO, C. O Feminismo no Brasil: suas múltiplas faces. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 12, n. 2, p. 237-253, maio/ago. 2004.

PÊCHEUX, M. Papel da memória. In: ACHARD, P. (org.). Papel da memória. Campinas: Pontes, 2010.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Campinas: Unicamp, 2014.

PÊCHEUX, M.; FUCHS, C. Mises au point et perspectives à propôs de l’AAD. Langages, Didier/Larousse, Paris, n. 37, p. 51-68, 1975. [A propósito da Análise Automática do Discurso: atualização e perspectivas (1975). In: GADET, F.; HAK, T. (org.). Por uma análise automática do discurso. 5. ed. Campinas: Editora da UNICAMP, 2014.]

PINTO, C. R. J. Uma história do feminismo no Brasil. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2003.

PORTAL SUL. BH: Marcha das Vadias acontece neste sábado. 2014. Disponível em: https://bit.ly/2AcEPqe. Acesso em: 20 ago. 2019.

ROMÃO, L. M. S. Exposições do Museu da Língua Portuguesa: arquivo e acontecimento e(m) discurso. São Carlos: Pedro & João Editores, 2011.

SARAMAGO, J. As intermitências da morte. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

SARAMAGO, J. Ensaio sobre a cegueira. Lisboa: Caminho, 2001.

SARAMAGO, J. Memorial do convento. Lisboa: Caminho, 2006.

SEMIRAMIS, C. Respondendo dúvidas sobre a Marcha das Vadias. Blogueiras feministas. 22 maio 2013. Disponível em: https://bit.ly/3c8LJdg. Acesso em: 20 ago. 2019.

VADIA. In: Dicionário da língua portuguesa. Priberam. Disponível em: https://dicionario.priberam.org/vadia. Acesso em: 20 ago. 2019.

VEJA. Bolsonaro zomba da esposa de Macron e é acusado de sexismo. 25 ago. 2019. Disponível em: https://bit.ly/3daJI1Q. Acesso em: 6 maio 2020.

VI O MUNDO. Marcha das margaridas: “combinaram de nos matar. E nós combinamos de não morrer”. 14 ago. 2019. Disponível em: https://bit.ly/2ZJGka6. Acesso em: 20 ago. 2019.




DOI: https://doi.org/10.21165/el.v49i2.2477

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Estudos Linguísticos (São Paulo. 1978)